segunda-feira, 24 de julho de 2017

Pela primeira vez o Festival de Inverno de Bonito promove Oficina de Observação de Aves

Udu-de-coroa-azul(Momotus momota)
Ave símbolo de Bonito, MS

A Oficina de Observação de Aves inaugurou as atividades do 18º Festival de Inverno de Bonito-MS que neste ano de 2017 tem como tema “diversidade natural e cultural”. Pela primeira vez na história dos festivais de inverno de Bonito a Observação de Aves é também um elemento reconhecido enquanto memória e identidade cultural de uma comunidade.

A percepção e sensibilidade da Fundação de Cultura do MS ao unir os patrimônios cultural e natural demonstra que estamos num caminho de transformação e conquistas para territórios e sociedades mais sustentáveis.

Reconhecer os serviços ecossistêmicos, os valores da biodiversidade e a conectividade existente entre os elementos da natureza e como isso tudo está intrinsecamente associado à nossa cultura nem sempre é tarefa fácil e perceptível. Esse também foi um dos desafios da oficina. A partir do conhecimento se gera sensibilidade.



O que foi visto durante a oficina de observação de aves? Além das metodologias técnicas de se observar e identificar as aves, houve
Oficina de Observação de Aves, Bonito - MS

interação entre pessoas e novas amizades foram construídas. O impacto da observação de aves ficou evidenciado no turismo, na educação, na ciência e na cultura da sociedade. No saldo geral cerca de 80 espécies de aves foram registradas durante os dois dias de saídas a campo e passarinhadas.
Promovido pela Fundação de Cultura do Mato Grosso do Sul e ministrado pela equipe do Instituto Mamede de Pesquisa Ambiental e Ecoturismo a
Atividade de campo
Oficina de Observação de Aves proporcionou aos participantes a oportunidade de se conhecer metodologias de observação, técnicas de identificação de espécies de aves a partir das marcas de campo, shapes, cores, vocalizações, além de momentos de integração e reconexão com a natureza, ampliação de novas redes de contato e fortalecimento de laços de amizade entre os participantes.
A oficina permitiu ainda, a compreensão das diversas formas de atuação da rede de interações existente no mundo natural e como o paisagismo funcional na cidade, os jardins de beija-flores e tantos outros elementos que constituem modelos menos estéreis de paisagismo podem agregar biodiversidade e bem-estar humano.

Atividades teóricas interativas
E como terminou? Com o imenso desejo de continuidade de novos encontros para Observação de
Aves, e claro, com a tradicional Feira de Trocas: tem algo e não usa mais? Põe na roda para circular!! Entre livros de aves e de assuntos diversos, bolsas, CDs, serviços de guiagem, corujadas, capa de chuva, ovos de codorna e tudo o mais que a criatividade dos participantes permitiu.

Liliane Cascaes


Agradeço muito à Maristela e Simone pelas contribuições e condução com maestria da oficina de Observação de Aves, ocorrido no período de 21 a 23 de julho no festival de inverno de Bonito, MS, 2017. A percepção e conhecimento de Maristela e Simone nos levaram a compreender o comportamento das aves, a interagir e a respeitar seu habitat. Parabéns pelo excelente trabalho!!! (Liliane Cascaes, Agência Bonito Brasil Turismo).



Roberto Benites


Parabéns pela Oficina, aprendi muito com vocês. Bonito precisa
muito de pessoas como vocês e de eventos que unam cultura e meio ambiente. Obrigado! (Roberto de Fátimo Benites, Monitor Ambiental).



Nadia León

Curso muy interesante que acerca al hombre a la naturaliza sin interferir en ella. Alejar al hombre de la naturaliza, no es solución, sino buscar estratégias y plataformas viables para inserirlo a la misma de tal manera que sume y no reste, es una forma de preservar, pues quien no conece, no aprecia y mucho menos ama. Gracias. (Nadia León).



Sarita Souza
Enquanto cursista da oficina de Observação de Aves aprendi o que é “passarinhar”: curtir o momento da procura, a descoberta das aves, contemplá-las e se esquecer do tempo. É maravilhosa a natureza e a harmonia da fauna e flora. De uma certa forma, naquele momento de “passarinhada” voltamos a nos reconectar com ela – a natureza. (Sarita Souza, Historiadora).


Elijane Coelho


A percepção é uma habilidade que precisa ser treinada. Quando
passamos a ouvir os sons da natureza, a estar atentos às belezas, levezas e movimentos das aves, o mundo fica muito mais interessante. Este foi o despertar que tive durante esta oficina. Saio com a decisão de estudar, de afinar a percepção, para poder estimular essa percepção aos que participam das caminhadas do Sopa de Pedra Turismo e Aventura. (Elijane Coelho - Lili, Agência Sopa de Pedra Turismo e Aventura).


Amanda Xavier


Ministrado por pessoas muito atenciosas a oficina tornou-se ainda mais estimulante, uma vez que, além de proporcionar maior percepção quanto ao ambiente a nossa volta, nos mostrou nossa inclusão nele e também como funciona sem nós no momento em que éramos observadores, ou seja, o funcionamento do todo e das partes. Foi ministrado de uma maneira descontraída e estimulante. (Amanda Xavier, cursista).






Em relação à Oficina de Observação de Aves, foi muito gratificante e de
Aldo Silva
muita aprendizagem. Professoras muito qualificadas, com imensa paciência em nos ensinar os nomes das aves. Aprendi muito com essa oficina. Fiz novas amizades e eu só tenho a agradecer a todas as pessoas que contribuíram para que pudéssemos realizar essa oficina. Parabéns a todos. (Aldo Silva, Monitor Ambiental).





Simone Mamede



Esta oficina foi um belo insight da Fundação de Cultura que possibilitou o exercício de uma ciência mais cidadã, treinou olhares e habilidades e promoveu a percepção da integração entre os patrimônios. (Simone Mamede)


Maristela Benites

Poder levar e integrar saberes sobre nossa biodiversidade onde, no
final, a conservação é consenso e desejo de todos é, sem dúvida, uma das melhores sensações do pesquisador, instrutor e cidadão cientista. Enxergar a diversidade de aves como elemento integrante da nossa identidade social e biológica nos ajuda a compreender nossa condição de seres interdependentes e responsáveis pela manutenção de um planeta viável a todos os seres vivos. (Maristela Benites)















Nenhum comentário:

Postar um comentário